Livro O Despertar da Consciência do Átomo ao Anjo SE8999
-20%

Livro O Despertar da Consciência do Átomo ao Anjo

Ref.: SE8999 Compra Segura

Sinopse do livro: “O Despertar da Consciência – Do átomo ao anjo”

Esta obra sintetiza fragmentos do Ensino Universal dos Espíritos, explicitando a origem, a natureza e a destinação do ser. As obras da Codificação kardequiana e outras coligadas evidenciam a existência de uma única substância primitiva – o princípio inteligente do Universo –, imanente na Força Suprema, a partir da qual tudo se origina e evoluciona num continuum infindo. No estudo que desenvolve, o autor detalha a sua trajetória evolutiva, do átomo ao anjo, facultando a compreensão de que tudo é vivo, dinâmico, solidário e interdependente no Tudo-Uno-Deus, onde o micro contém o macro e vice versa. Nessa trajetória, ao atuar como elemental nos alicerces da natureza, gerencia as vicissitudes que contribuem para que esse mesmo elemento e outros da retaguarda evolucionem.
Sebastião Camargo nos incentiva a sermos os médicos de nós mesmos, mediante a condução adequada dessas forças, segundo as diretrizes da Lei de Amor. Esclarece que a felicidade está na razão direta da liberdade e que só é livre quem assume a responsabilidade de fazer o máximo com o mínimo que conhece, a benefício de todos. O amor a si mesmo e ao semelhante é condição sine qua non para atingir as culminâncias da plenificação. Ser responsável é fazer somente o bem que propicia o Eterno Bem, o que significa pensar, sentir, falar e agir de conformidade com as determinações da Lei de Amor, Justiça e Caridade em sua maior pureza e simplicidade, dentro dos parâmetros daquilo que gostaríamos que se tornasse real em nossa existência. Ser livre significa amar incondicionalmente todos os estágios dimensionais da criação, compreendendo-os e respeitando-os dentro de suas limitações e necessidades evolutivas. Não devemos tolher a liberdade de quem quer que seja, tampouco sermos coniventes com a imaturidade e a irresponsabilidade de alguém. No entanto, podemos e devemos iluminar e libertar inúmeras outras consciências à luz da nossa transformação pessoal.
O Despertar da Consciência - do Átomo ao Anjo, estimula o leitor a avançar, intimorato, para frente e para o alto, vencendo a si mesmo, superando-se, para, por fim, lograr a renovação e a plenitude, na vivência do amor incondicional. A proposta de auto e de aloiluminação deve ser a meta existencial da consciência que despertou. Em qualquer momento, estágio ou setor da vida, apenas fará o que julgar coerente com o Bem Supremo, posto que o bem de todos é o eterno princípio.

R$ 55,00 R$ 44,00

Escolha uma opção

Produto indisponível

Livro O Despertar da Consciência do Átomo ao Anjo

Nota de esclarecimento:

Significado do símbolo do Instituto O Despertar da Consciência: a pirâmide e o olho de Hórus.
O símbolo adotado pelo Instituto O Despertar da Consciência como seu logotipo, e que se estampa na capa do livro do mesmo nome - a pirâmide contendo o olho de Hórus - tem despertado a curiosidade de alguns leitores desse livro e de ouvintes dos programas de Sebastião Camargo, relativamente ao seu significado.O olho de Hórus ou 'Udyat' é um símbolo proveniente do Egito Antigo. Significava poder e proteção, relacionado ao deus Hórus. Foi um dos mais poderosos e mais usados amuletos no Egito antigo, em todas as épocas. Hoje, esclarece o escritor e orador, temo-lo como o Símbolo da Consciência Desperta. Na base da pirâmide, o canto do lado esquerdo representa o Amor Universal; o canto do lado direito representa o Conhecimento universal. No vértice das duas vertentes da pirâmide, na fusão do Conhecimento e do Amor, forma-se a Consciência ou o Ser imortal. O olho aberto no centro da Pirâmide significa a consciência menor, a alma ou personalidade encarnada que despertou e se integrou com sua totalidade. Quando ainda adormecida, o olho permanece fechado.

Consciência/Espírito

Amor Universal <O Sal da Terra> Conhecimento Universal
___________________________________________________________________________________________________________

ERRATAS DO LIVRO

Errata 2° Edição

Acréscimos para a segunda edição ou Adendo à 1ª edição da obra “O Despertar da Consciência – do átomo ao anjo”
Página 29 – Nota de rodapé nº 33 – errata:
Constava: KARDEC, A. LM. São Paulo: Petit. item 50.
O correto é: KARDEC, A. LM. São Paulo: Petit. item 35, subitem 4.
Página 48 – último parágrafo:
Constava: “O que é Deus? R. Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.”
Mudamos para: “Que é Deus? R. Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.” (Rio de Janeiro: FEB).
Na página 187 na citação 352 foi acrescido:
Dirija um homem a sua vontade para a ideia de doença e a moléstia lhe responderá ao apelo, com todas as características dos moldes estruturados pelo pensamento enfermiço, porque a sugestão mental positiva determina a sintonia e receptividade da região orgânica, em conexão com o impulso havido, e as entidades microbianas, que vivem e se reproduzem no campo mental das milhões de pessoas que as entretêm, acorrerão em massa, absorvidas pelas células que as atraem, em obediência às ordens interiores, reiteradamente recebidas, formando no corpo a enfermidade idealizada (este parágrafo é um adendo à 1ª edição).
Página 254 – último parágrafo – errata:
Constava: Em Jesus (525LE)…
O correto é: Em Jesus (625LE)…
Na página 295 a citação (564) foi ampliada:
Antes:
[…] Sendo os fluidos o veículo do pensamento., […].
[…] Tenha um homem, por exemplo, a ideia de matar outro: embora o corpo material se lhe conserve impassível, seu corpo fluídico é posto em ação pelo pensamento e reproduz todos os matizes deste último; executa fluidicamente o gesto, o ato que intentou praticar. O pensamento cria a imagem da vítima e a cena inteira é pintada, como num quadro, tal qual se desenrola no Espírito […] (grifo nosso).
Depois:
Sendo os fluidos o veículo do pensamento, este atua sobre os fluidos como o som sobre o ar; eles nos trazem o pensamento, como o ar nos traz o som. […].
Há mais: criando imagens fluídicas, o pensamento se reflete no envoltório perispirítico, como num espelho; toma nele corpo e aí de certo modo se fotografa. Tenha um homem, por exemplo, a ideia de matar outro: embora o corpo material se lhe conserve impassível, seu corpo fluídico é posto em ação pelo pensamento e reproduz todos os matizes deste último; executa fluidicamente o gesto, o ato que intentou praticar. O pensamento cria a imagem da vítima e a cena inteira é pintada, como num quadro, tal qual se desenrola no Espírito […] (grifo nosso).
Na página 348, trocamos o segundo parágrafo do primeiro item do Processo de autocura:
Foi retirado:
A irritação, a ansiedade, o inconformismo, o ciúme, a rebeldia devem ser rejeitados por serem portadores de raios destruidores que atingem os fulcros celulares e os desarranjam, alterando-lhes o ritmo e a multiplicação.
Foram acrescentados:
As ideias enobrecedoras, os planos de futura ação benéfica são portadores de energia equilibrante, que estimula os complexos campos celulares, propiciando-lhes harmonia e produtividade.
O indivíduo deve concentrar-se numa visão saudável, projetando-se no tempo em condições de equilíbrio; ver-se recuperado, assumindo responsabilidades e desenvolvendo as atividades que pretende encetar.
(Nota do autor: estes dois parágrafos substituem o anterior da 1ª edição).
Esse parágrafo foi acrescentado antes do primeiro item:
Assim, diante de sofrimentos advindos, particularmente, de enfermidades, devem-se levar em consideração alguns fatores, a fim de propiciar-se a autocura. Por elasticidade de aplicação, quando necessário, direcioná-los em favor de outros enfermos.
(Nota do autor: este parágrafo é um adendo à 1ª edição).
Sebastião Camargo

Errata 3° Edição
Acréscimos para a segunda edição ou Adendo à 3ª edição da obra “O Despertar da Consciência – do átomo ao anjo”
Errata:
Página 85:
Antes:
Para evitar equívocos reelativamente a essas duas entidades – espírito e Espírito –, busquemos na base kardequiana a informação entre parênteses, na questão 25aLE, e confrontemo-la com a nota semelhante, inserida por Kardec, após a questão 76LE, na qual ele indaga sobre a definição que se pode dar dos Espíritos. Observe: “A palavra Espírito é empregada aqui para designar a individualidade e não mais o elemento inteligente universal.”
Depois:
Para evitar equívocos relativamente a essas duas entidades – espírito e Espírito –, busquemos na base kardequiana a informação entre parênteses, na questão 25aLE, e confrontemo-la com a nota semelhante, inserida por Kardec, após a questão 76LE, na qual ele indaga sobre a definição que se pode dar dos Espíritos. Observe: “A palavra Espírito é empregada aqui para designar a individualidade e não mais o elemento inteligente universal.”
Página: 98
Antes:
Emmanuel acentua que: “O instinto e a inteligência pouco a pouco se transformam em conhecimento e responsabilidade e semelhante renovação outorga ao ser mais avançados equipamentos de manifestação…”
O correto é:
André Luiz acentua que: “O instinto e a inteligência pouco a pouco se transformam em conhecimento e responsabilidade e semelhante renovação outorga ao ser mais avançados equipamentos de manifestação…”
Página 119:
Na chamada para as citações 212, 213 e 214 constava:
E Calderaro prossegue:
O correto é:
Calderaro e Joanna de Ângelis complementam:
Página 132 no segundo parágrafo:
Antes:
Somos células do corpo do Cristo e membros uns dos outros, conforme asseverou o Apóstolo dos Gentios (Paulo de Tarso).
Depois:
Somos células do corpo do Cristo e membros uns dos outros, conforme asseverou o Apóstolo dos Gentios (Paulo de Tarso).
Página 169:
Na chamada para as citações 320 e 321 constava:
Segundo Emmanuel:
O correto é:
Segundo André Luiz e Emmanuel, respectivamente:
Na página 187 na citação 352 foi acrescido:
Existem princípios, forças e leis no universo minúsculo, tanto quanto no universo macrocósmico (este acréscimo é um adendo à 2ª edição).
  Página 300 :
2º Parágrafo:
Antes
Rever cenas do passado e reprogramar nossa vida não é tarefa tão simples e fácil de se realizar. Tornar-se-á possível àquele que pensa por si mesmo, que expressa o amor incondicional e o aprimora, em parceria com almas afins, isto é, um coração cujas mãos operosas e incansáveis trabalham auxiliando os seus semelhantes em todas as situações.
Depois
“Rever cenas do passado e reprogramar nossa vida não é tarefa tão simples e fácil de se realizar. Entretanto, sempre será possível àquele que pensa por si mesmo, que expressa o amor incondicional e o aprimora, em parceria com almas afins, isto é, um coração cujas mãos operosas e incansáveis trabalham auxiliando os seus semelhantes em todas as situações.”
5º parágrafo:
Antes
“Imprescindível o exercício continuado dos atributos de que já dispomos como Espíritos individualizados, adquirindo outras potencialidades e, assim, expandindo e sublimando o nosso universo de atuação. Para que esse empreendimento se concretize com celeridade, contaremos com o auxílio e o amparo incondicional de nossos orientadores, além da dedicação, sustentação e fidelidade inquestionável dos irmãos orientandos. Essas duas forças divinas sempre se revelarão nos meandros de nossa vida, proporcionando-nos todos os meios lícitos possíveis para superarmos e transcendermos quaisquer dificuldades.
Depois
Para que esse empreendimento se concretize com celeridade, contaremos com o auxílio e o amparo incondicional de nossos orientadores, além da dedicação, sustentação e fidelidade inquestionável dos irmãos orientandos. Essas duas forças divinas sempre se revelarão nos meandros de nossa vida, proporcionando-nos todos os meios lícitos possíveis para superarmos e transcendermos quaisquer dificuldades.
Página 301 – citação 569 foi acrescido:
Antes:
Modelamos nossa alma e seu invólucro com os nossos pensamentos; estes produzem formas, imagens que se imprimem na matéria sutil, de que o corpo fluídico é composto. Assim, pouco a pouco, nosso ser povoa-se de formas frívolas ou austeras, graciosas ou terríveis, grosseiras ou sublimes; a alma se enobrece, embeleza ou cria uma atmosfera de fealdade (indignidade). Segundo o ideal a que visa, a chama interior aviva-se ou obscurece-se (grifo nosso).
Depois:
O pensamento […] é criador. Não atua somente em torno de nós, influenciando nossos semelhantes para o bem ou para o mal; atua principalmente em nós; gera nossas palavras, nossas ações e, com ele, construímos, dia a dia, o edifício grandioso ou miserável de nossa vida presente e futura. Modelamos nossa alma e seu invólucro com os nossos pensamentos; estes produzem formas, imagens que se imprimem na matéria sutil, de que o corpo fluídico é composto. Assim, pouco a pouco, nosso ser povoa-se de formas frívolas ou austeras, graciosas ou terríveis, grosseiras ou sublimes; a alma se enobrece, embeleza ou cria uma atmosfera de fealdade (indignidade). Segundo o ideal a que visa, a chama interior aviva-se ou obscurece-se.
Sebastião Camargo

Errata 4° Edição
Acréscimos para a terceira edição ou Adendo à 4ª edição da obra “O Despertar da Consciência – do átomo ao anjo”
Errata:
Página 25:
Nota de rodapé
Antes
  KARDEC, A. Revista Espírita. março de 1858.
Depois:
  KARDEC, A. Revista Espírita. Rio de Janeiro: FEB. abril de 1858.
Página 29:
Nota de rodapé da 1ª citação
Antes
  KARDEC, A. Introdução. In: LE. São Paulo: Petit. item 7.
Depois
  KARDEC, A. Introdução. In: LE. São Paulo: Petit. item 8.
Nota de rodapé da 5ª citação
Antes
FRANCO, D. P.; JOANNA DE ÂNGELIS (Espírito). Mensagem nº 75. In: Vida Feliz.
Depois
FRANCO, D. P.; JOANNA DE ÂNGELIS (Espírito). Mensagem nº 125 (CXXV). In: Vida Feliz.
Página 49:
3ª citação
Antes
Allan Kardec, Espírito, afirmou: “[…] o infinito é Deus”
Depois
Allan Kardec, Espírito, afirmou: “[…]. Não está longe o dia em que sereis convencidos de que o infinito é o próprio Deus […].”
Página 73:
Adendo:
613LE.R – […]. Qual é a origem do Espírito? Onde está seu ponto de partida? Forma-se a partir do princípio inteligente individualizado? […]
Página 76:
3ª citação
Antes
  XAVIER, F. C.; EMMANUEL (Espírito). Ante o infinito. In: Roteiro. cap. 1.
Depois
XAVIER, F. C.; EMMANUEL (Espírito). Ante o infinito. In: Roteiro. cap. 40.
Página 102:
1ª citação
Antes
Essa evolução do ser, sendo ele próprio o edificador do futuro, construindo-se todos os dias a si mesmo, por seus atos, quer no seio do abismo quer no desabrochamento das humanidades felizes, essa identidade de todos, nas origens como nos fins, esse aperfeiçoamento gradual, […] tudo isso nos mostra os princípios eternos de justiça, de ordem, de progresso que reinam nos mundos, regulando o destino das almas, […] (grifo nosso).
Depois
Essa evolução do ser, sendo ele próprio o edificador do futuro, construindo-se todos os dias a si mesmo, por seus atos, quer no seio do abismo quer no desabrochamento das humanidades felizes, essa identidade de todos, nas origens como nos fins, esse aperfeiçoamento gradual, fruto do cumprimento de deveres no trabalho e nas provações, tudo isso nos mostra os princípios eternos de justiça, de ordem, de progresso que reinam nos mundos, regulando o destino das almas, segundo leis sábias, profundas, universais (grifo nosso).
Página 103:
Adendo
4ª citação
A alma humana, em nosso corpo terrestre, sobre a Terra, rege, sem disso se aperceber, todo um mundo de almas elementares, formando as partes constitutivas do seu corpo.
Pagina 239:
Adendo
Almas de vegetais, almas de animais, almas de homens são seres chegados já a um grau de personalidade, de autoridade suficiente para dobrar à sua ordem, dominar e reger debaixo de sua direção as demais forças não personalizadoras e esparsas no seio da imensa Natureza. A mônada humana, por exemplo, superior à mônada do sal, à mônada do carbono, à do oxigênio, as absorve e as incorpora na sua obra. A alma humana, em nosso corpo terrestre, sobre a Terra, rege, sem disso se aperceber, todo um mundo de almas elementares, formando as partes constitutivas do seu corpo. A matéria não é substância sólida e espaçosa; é um complexo de centros de forças. […] Ao alto dos diversos centros de forças constitutivas que formam o corpo humano a alma humana governa todas as almas ganglionárias que lhe são subordinadas (grifo nosso).
Pagina 254:
Adendo
A mônada humana, por exemplo, superior à mônada do sal, à mônada do carbono, à do oxigênio, as absorve e as incorpora na sua obra. A alma humana, em nosso corpo terrestre, sobre a Terra, rege, sem disso se aperceber, todo um mundo de almas elementares, formando as partes constitutivas do seu corpo. (grifo nosso).
Página 294:
Último parágrafo
Antes
Vivemos pelo pensamento. Somos o que pensamos. Em nós, construímos o céu ou o inferno, o holocausto ou a vida em plenitude. Escolhemos o transitório ou o imperecível. Temos o livre arbítrio e, portanto, somos responsáveis por nossas escolhas. Afinal, somos deuses, cocriadores de nosso universo.
Depois
Vivemos pelo pensamento. Somos o que pensamos. Em nós, construímos o céu ou o inferno, o holocausto ou a vida em plenitude. Escolhemos o transitório ou o imperecível. Temos o poder de decisão e, portanto, somos responsáveis por nossas escolhas. Afinal, somos deuses, cocriadores de nosso universo.
  Página 300:
2º Parágrafo:
Antes
“Rever cenas do passado e reprogramar nossa vida não é tarefa tão simples e fácil de se realizar. Entretanto, sempre será possível àquele que pensa por si mesmo, que expressa o amor incondicional e o aprimora, em parceria com almas afins, isto é, um coração cujas mãos operosas e incansáveis trabalham auxiliando os seus semelhantes em todas as situações.”
Depois
“Rever cenas do passado e reprogramar nossa vida não é tarefa tão simples e fácil de se realizar. Entretanto, sempre será possível àquele que pensa por si mesmo, expressa o amor incondicional e o aprimora, em parceria com almas afins, isto é, um coração cujas mãos operosas e incansáveis trabalham auxiliando os seus semelhantes em todas as situações.”
Página 324:
Antes
Os bons Espíritos laboram com o propósito de induzir cada indivíduo a transformar-se em médico de si mesmo. Se cada unidade celular é instrumento receptor e transmissor de determinada onda mental, somos também instrumentos de incontáveis companheiros de jornada, dos que ainda transitam pelas estradas tortuosas de seu progresso ascensional e de outros que já se encontram nos caminhos da retidão.
Depois
Os bons Espíritos laboram com o propósito de induzir cada indivíduo a transformar-se em médico de si mesmo. Se cada unidade celular é instrumento receptor e transmissor de determinada onda mental, somos também instrumentos receptores e transmissores das ondas mentais de incontáveis companheiros de jornada, dos que ainda transitam pelas estradas tortuosas de seu progresso ascensional e de outros que já se encontram nos caminhos da retidão.
Página 335:
Adendo:
[…] plantas existem que vivem de modo igual a nós outros: sentem, pensam, raciocinam e falam.
[…] Não se tem o direito de declarar impossível um fato desconhecido, quando se ignora a lei da maneira de ser a ele concernente. […]
Existem vegetais sentindo e agindo: ver-se-iam plantas sentindo e fazendo-se compreender.
[…] Sem a menor dúvida. As plantas terrenas são, sim, dotadas de alma, de igual maneira que os animais e os homens. Sem alma virtual nenhuma organização constituiria um ser. A forma do vegetal é dada pela sua alma. […] Apenas, a alma da planta não tem consciência de si mesma.
Almas de vegetais, almas de animais, almas de homens são seres chegados já a um grau de personalidade, de autoridade suficiente para dobrar à sua ordem, dominar e reger debaixo de sua direção as demais forças não personalizadoras e esparsas no seio da imensa Natureza. A mônada humana, por exemplo, superior à mônada do sal, à mônada do carbono, à do oxigênio, as absorve e as incorpora na sua obra. A alma humana, em nosso corpo terrestre, sobre a Terra, rege, sem disso se aperceber, todo um mundo de almas elementares, formando as partes constitutivas do seu corpo. A matéria não é substância sólida e espaçosa; é um complexo de centros de forças. […] Ao alto dos diversos centros de forças constitutivas que formam o corpo humano a alma humana governa todas as almas ganglionárias que lhe são subordinadas (grifo nosso).
Sebastião Camargo

Errata 5° Edição

Acréscimos para a quarta edição ou Adendo à 5ª edição da obra “O Despertar da Consciência – do átomo ao anjo”
Páginas sem numeração: 20, 44, 244, 396
Pagina 26:
Depois da 1ª citação
Antes
Kardec, desde 1860, anotara, na questão 33LE (2ª edição), as limitações que cada época acarreta para o conhecimento em plenitude:
Depois
Kardec advertiu, na questão 33 d’O Livro dos Espíritos, em sua 3ª edição, sobre as limitações que cada época acarreta para o conhecimento em plenitude:
Pagina 36:
Antes – citação
148LE.N – O Espiritismo é o mais poderoso auxiliar da religião.
Depois – corpo do texto
Allan Kardec, por sua vez, enfatiza que “o Espiritismo é o mais poderoso auxiliar da religião (148LE.N.).
Adendo
Pagina 39:
Primeira citação
Antes
Prossigamos com as reflexões de Miramez:
Nós outros estamos em movimento único, em todos os mundos, e no nosso caso, na Terra, sob a influência de Jesus, Governador do planeta desde o princípio.
Também nele estais aperfeiçoados. Ele é o cabeça de todo principado e potestade. (Colossenses, 2:10)
Se estamos n’Ele, Jesus, pelo poder que tem sobre todos nós e sobre todos os que vivem na Terra, estamos sendo aperfeiçoados por Ele. Todavia, Ele nos deu uma parte neste trabalho de aperfeiçoamento, e podemos ajudar aos que se encontram na retaguarda.
Depois
Nós outros estamos em movimento único, em todos os mundos, e no nosso caso, na Terra, sob a influência de Jesus, Governador do planeta desde o princípio.
Também nele estais aperfeiçoados. Ele é o cabeça de todo principado e potestade. (Colossenses, 2:10)
Se estamos n’Ele, Jesus, pelo poder que tem sobre todos nós e sobre todos os que vivem na Terra, estamos sendo aperfeiçoados por Ele. Todavia, Ele nos deu uma parte neste trabalho de aperfeiçoamento, e podemos ajudar aos que se encontram na retaguarda.
Os habitantes da Terra não trabalham pelo seu adiantamento material? Considerai, pois, todos os Espíritos encarnados como fazendo parte daqueles que estão encarregados de fazê-la progredir ao mesmo tempo que eles mesmos progridem. É a coletividade de todas essas inteligências, encarnadas e desencarnadas, nela compreendido o delegado superior, que constitui, propriamente falando, a alma da Terra da qual cada um de vós faz parte. Encarnados e desencarnados são as abelhas que trabalham na edificação do favo, sob a direção do Espírito chefe; este é a cabeça, os outros são os braços.
Adendo
Pagina 40:
Segunda citação
Antes
Epes Sargent esclarece:
O Universo inteiro, corpos e almas (mundos e seres – acréscimo nosso), é formado de mônadas ou últimas divisões dos átomos, homogêneas em essência, mas pelo Criador dotadas de certas faculdades, desenvolvidas em graus infinitamente diversos. Assim, as alterações que a mônada sofre são unicamente as evoluções graduais e sucessivas de suas próprias faculdades íntimas.
Depois
Epes Sargent e Pietro Ubaldi esclarecem:
O Universo inteiro, corpos e almas (mundos e seres – acréscimo nosso), é formado de mônadas ou últimas divisões dos átomos, homogêneas em essência, mas pelo Criador dotadas de certas faculdades, desenvolvidas em graus infinitamente diversos. Assim, as alterações que a mônada sofre são unicamente as evoluções graduais e sucessivas de suas próprias faculdades íntimas.
A mesma substância que, embora mudando de forma, nada aumenta e nada destrói de si mesma, mas se refina seu modo de ser com qualidades cada vez mais sutis, complexas e perfeitas.
Antes
Hermínio Miranda, em sintonia com o pensamento de Epes Sargent, citando Annie Besant, luariza os céus de nossa mente perquiridora:
Depois
Hermínio Miranda, em sintonia com o pensamento dos dois autores citados, aludindo a Annie Besant, luariza os céus de nossa mente perquiridora:
Adendo
Pagina 54:
Segunda citação
Antes
[…] a inteligência divina, comanda todos os elementos nos seus devidos lugares, para que haja ordem nas formas.
Depois
Em tudo penetra a inteligência divina, comanda todos os elementos nos seus devidos lugares, para que haja ordem nas formas.
Última citação
Antes
Confunde-se a matéria com o espírito, e este com Deus, o Criador de todas as coisas.
Depois
Confunde-se a matéria com o espírito, e este com Deus, o Criador de todas as coisas. Se não damos conta de dominar a matéria física, ainda mais o que existe por trás dela, como, por exemplo, os fluidos de onde ela se originou! A escala das substâncias é infinita.
Adendo
Página 55:
Segundo parágrafo depois da citação
Antes
Tudo é espírito. Portanto, a própria matéria, segundo a questão 34aLE, é formada de uma porção do elemento primitivo – o espírito – da questão 23LE.
Depois
Em um plano de consciência mais avançado em evolução, segundo Pietro Ubaldi, “todo o universo se torna espírito”. Portanto, a própria matéria, segundo a questão 34aLE, é formada de uma porção do elemento primitivo – o espírito – da questão 23LE.
Adendo
Página 55:
Primeiro parágrafo
Antes
Depreende-se, dos dizeres de Miramez, que a matéria seria a mais simples manifestação de Deus, deixando-nos uma interrogação quanto à Sua Imaterialidade e Imutabilidade. Revisitemos a nota de Kardec (13LE):
Depois
Depreende-se, dos dizeres de Miramez, que a matéria seria a mais simples manifestação de Deus, deixando-nos uma interrogação quanto à Sua Imaterialidade e Imutabilidade. Revisitemos a nota de Kardec (13LE), na qual anotara alguns atributos da divindade:
Adendo
Página 71:
Terceiro parágrafo e a citação seguinte
Léon Denis assinala o proceder ideal de todo aquele que almeja desenvolver as forças latentes que traz em si, mediante a prece sincera que lhe permitirá deixar-se “fecundar moralmente” pelo Todo Poderoso, não obstante carecente de uma vontade disciplinada e perseverante que lhe faculte o domínio das forças internas e externas, isto é, sobre si mesmo (a essência componente do ser moral-espiritual) e sobre a substância de que se constituem os seus veículos de expressão:
“Deus é a grande alma universal, de que toda alma humana é uma centelha, uma irradiação. Cada um de nós possui, em estado latente, forças emanadas do divino Foco e pode desenvolvê-las, unindo-se estreitamente à Causa de que é efeito. Mediante a elevação dos pensamentos para Deus, por meio da prece que brota das profundezas do ser e liga a Criatura ao Criador, produz-se uma penetração contínua, uma fecundação moral, uma expansão das riquezas que em nós jazem ocultas. Mas a alma humana ignora-se a si mesma; por falta de conhecimento e de vontade, deixa as suas capacidades interiores em letargo. Em lugar de dominar a matéria, deixa-se por ela frequentemente dominar; eis a fonte de seus males, das suas fraquezas, das suas provações.”
Página 87:
Último parágrafo
Antes
Por se tratar de uma entidade, o princípio inteligente é resultante da atividade síncrona destas facetas do Psiquismo Divino: movimento, matéria e energia, duração e tempo, regulados pelas forças de atração, gravitação e repulsão. Os princípios inteligentes agrupados constituem a substância da matéria primitiva e da energia cósmica. Aquela entidade – uma vez individualizada como espírito, dentro dos parâmetros da Lei de Amor – se tornará indestrutível, como indestrutível será o Espírito individualizado que dela se originará, conforme veremos na sequência:
Depois
Por se tratar de uma entidade, o princípio inteligente é resultante da atividade síncrona destas facetas do Psiquismo Divino: duração, espaço e movimento, matéria e energia, regulados pelas forças de atração, gravitação e repulsão. Os princípios inteligentes agrupados constituem a substância da matéria primitiva e da energia cósmica. Aquela entidade – uma vez individualizada como espírito, dentro dos parâmetros da Lei de Amor – se tornará indestrutível, como indestrutível será o Espírito individualizado que dela se originará, conforme veremos na sequência:
Página 93:
Primeira citação
Antes
613LE – […] Cada espécie constitui um tipo absoluto, física e moralmente, e cada indivíduo tira na fonte universal a soma do princípio inteligente que lhe é necessário, segundo a perfeição de seus órgãos e a obra que deve cumprir nos fenômenos da natureza […] (grifo nosso).
Depois
Allan Kardec inquire e, de certa forma, responde à sua própria indagação:
613LE.N – Qual é a origem do Espírito? Onde está seu ponto de partida? Forma-se a partir do princípio inteligente individualizado?
[…] Cada espécie constitui um tipo absoluto, física e moralmente, e cada indivíduo tira na fonte universal a soma do princípio inteligente que lhe é necessário, segundo a perfeição de seus órgãos e a obra que deve cumprir nos fenômenos da natureza […] (grifo nosso).
Adendo
Pagina 135:
Terceira citação
Antes
Em todos os processos da vida orgânica, o perispírito é o veículo através do qual as energias se movimentam em toda parte do corpo físico, considerando que o mesmo se encontra profundamente mergulhado nas células que o constituem.
Depois
Em todos os processos da vida orgânica, o perispírito é o veículo através do qual as energias se movimentam em toda parte do corpo físico, considerando que o mesmo se encontra profundamente mergulhado nas células que o constituem.
Organizado por energia específica, facilmente conduz as vibrações mentais, do que resultam os efeitos compatíveis com a carga emocional de que se faz portador.
Todo o arcabouço celular movimenta-se no molde semimaterial do perispírito, que é o modelo organizador biológico.
Adendo
Pagina 145:
Primeira citação
Quando a mente já desenvolveu certas qualidades, aprimorando-se em mais altos degraus de sublimação espiritual, pode arrojar de si mesma os elementos indispensáveis à composição dos veículos de exteriorização de que necessite em planos que lhe sejam inferiores. Nesses casos, o Espírito já domina plenamente as leis de aglutinação da matéria, no campo de lutas que nos é conhecido e, por esse motivo, governa o fenômeno da própria reencarnação, sem subordinar-se a ele.
Pagina 155:
Antes
Avançando na condição de consciências iluminadas pelo conhecimento e libertas pelo reto vier, seremos o Amor personificado ou o Evangelho vivo, isto é, pequenos deuses, como afirmou Jesus.
Depois
Avançando na condição de consciências iluminadas pelo conhecimento e libertas por um proceder irrepreensível, seremos o Amor personificado ou o Evangelho vivo, isto é, pequenos deuses, como afirmou Jesus.
Assim declarou o mestre de Lyon, um dos mais lúcidos propagadores da Boa Nova do Cristo:
Adendo
Paginas 174 e 175:
Última citação (174) e primeira citação (175)
Toda vez que a pessoa tenta a conscientização íntima, o encontro com o Eu profundo, a busca interior, as sensações predominantes nas paisagens físicas perturbam-¬lhe a decisão, impedindo a experiência. São sensações visuais, gustativas, olfativas, auditivas, tácteis, com as quais convive em regime de escravidão, e que assomam no silêncio, na concentração, ocupando o espaço mental, desviando a atenção da meta que busca.
São ruídos externos que, em outras circunstâncias, não são percebidos; imagens visuais arquivadas, aparentemente esquecidas; olfação excitada, que provoca o apetite; coceiras e comichões que surgem, simultâneos, em várias partes do corpo; salivação e desejo de alimentar-se, tomando os centros de interesse e desviando-¬os da finalidade libertadora.
A mente viciada e o corpo acomodado dificultam o despertar da consciência para a lucidez.
Adendo
Paginas 184:
Última citação
Podemos considerar a personalidade humana constituída de essência e substância. A primeira são as energias que procedem do Eu profundo, as vibrações que dimanam da sua causalidade, e a segunda é a reunião dos conteúdos psíquicos, transformados em atos, experiências, realizações, decorrentes do ambiente, das circunstâncias, e reminiscências das existências passadas.
São as substâncias que respondem pelo comportamento do ser, propiciando-lhe liberdade ou escravidão e dando nascimento ao eu.
Pagina 204:
Primeiro parágrafo após a citação
Antes
Em a Natureza, nada permanece estático. Todas as substâncias trabalham num dinamismo permanente, seguindo as diretrizes da Lei de Amor que normatiza as ações, nas incontáveis etapas do processo evolucional. A principal recomendação da Lei é que nenhuma força deve ser perdida ou negligenciada em nossos veículos de manifestação. Todas as essências devem transformar-se em sentimentos, tanto as do organismo físico, quanto as do perispírito e, principalmente, as da entidade mental. Essas forças devem evoluir com as nossas almas, do elemento primordial ao infinito.
Depois
Em a Natureza, nada permanece estático. Todas as substâncias trabalham num dinamismo permanente, seguindo as diretrizes da Lei de Amor que normatiza as ações, nas incontáveis etapas do processo evolucional. A principal recomendação da Lei é que nenhuma força deve ser perdida ou negligenciada em nossos veículos de manifestação. Todas as substâncias devem transformar-se em sentimentos (em essências), tanto as do organismo físico, quanto as do perispírito e, principalmente, as da entidade mental. Essas forças devem evoluir com as nossas almas, do elemento primordial ao infinito.
Adendo
Pagina 256:
Quarta citação
[…] a energia, que é vida, constitui-se do Psiquismo Divino[…].
Adendo
Pagina 265:
Primeiro parágrafo depois das citações
Antes
Confirma-se a presença dos elementais ou espíritos da Natureza e a existência de um único elemento primitivo. Tudo é interligado e solidário, antes assimilam os conhecimentos (como alunos dedicados), depois o transferem (como hábeis professores). O dinamismo, a solidariedade e a perfectibilidade são características fundamentais da Lei. Todos os Espíritos passarão por todos os setores do universo, aprenderão sobre tudo, conhecerão todas as coisas e todos os seres da Criação.
Depois
Confirma-se a presença dos elementais ou espíritos da Natureza e a existência de um único elemento primitivo. Tudo é interligado e solidário, antes assimilam os conhecimentos (como alunos dedicados), depois o transferem (como hábeis professores). O dinamismo, a solidariedade e a perfectibilidade são características fundamentais da Lei. Todos os Espíritos passarão por todos os setores do universo, aprenderão sobre tudo, conhecerão todas as coisas e todos os seres da Criação, “é preciso que saiba tudo para ser perfeito” (566LE).
Adendo
Pagina 267:
Último parágrafo
Antes
7. Intuição é o fruto da vivência dos valores conquistados, sintetizados e aperfeiçoados na vida cotidiana. É o substrato desses talentos (atributos) em forma de amor incondicional, resultantes da sublimação da consciência:
Depois
7. Intuição é o fruto da vivência dos valores conquistados, sintetizados e aperfeiçoados na vida cotidiana. É o substrato desses talentos (atributos) em forma de amor incondicional, resultantes do despertar e da sublimação da consciência:
Adendo
Pagina 268:
Segundo parágrafo após a citação
Antes
Encontram-se, nas anotações de Kardec, informações sobre as qualidades dos fluidos como determinantes do processo de evolução dos seres, nas etapas descritas: “[…] O quadro dos fluidos seria, pois, o de todas as paixões, das virtudes e dos vícios da Humanidade e das propriedades da matéria, correspondendo aos efeitos que eles produzem.” Isso implica dizer que nós podemos, ao assimilar os fluidos, transformá-los em irritabilidade ou em qualquer outro elemento, segundo os nossos valores, isto é, em vícios ou virtudes.
Depois
Encontram-se, nas anotações de Kardec, informações sobre as qualidades dos fluidos como determinantes do processo de evolução dos seres, nas etapas descritas: “[…] O quadro dos fluidos seria, pois, o de todas as paixões, das virtudes e dos vícios da Humanidade e das propriedades da matéria, correspondendo aos efeitos que eles produzem.” Isso implica dizer que nós podemos, ao assimilar os fluidos, transformá-los em qualquer elemento – do impulso à intuição -, segundo os nossos valores, isto é, em vícios ou virtudes.
Adendo
Pagina 278:
Segunda citação
Antes
[…] sem nos reportarmos aos bilhões de inteligências subumanas que são aproveitadas aos múltiplos serviços do progresso planetário, cercam o domicílio terrestre, demorando-se noutras faixas de evolução (grifo nosso).
Depois
Mais de vinte bilhões de almas conscientes, desencarnadas, sem nos reportarmos aos bilhões de inteligências subumanas que são aproveitadas aos múltiplos serviços do progresso planetário, cercam o domicílio terrestre, demorando-se noutras faixas de evolução (grifo nosso).
Adendo
Pagina 283:
Primeiro parágrafo após a citação
Antes
Percebe-se quão grande é a capacidade criadora, o poder de transformação e a responsabilidade do Espírito que anima a forma humana a caminho da angelitude. Instado a movimentar-se na arena das experiências (objetivas e subjetivas), visando aperfeiçoar-se e ascender, obriga-se ao cumprimento das diretrizes estabelecidas pelas leis superiores e exemplificadas pelos que o precederam na escalada evolutiva. Concomitantemente, vê-se na contingência de intermediar essas luzes normativas para os que o sucedem. Nesse mister, seus potenciais desabrocham e se expandem, exercita-os nas diversas atividades a que se submete para atingir os fins que se propõe. A mente criadora, nesse mover-se ininterrupto de ascensão, plasma, no laboratório da natureza íntima e da Natureza externa, tudo o que almeja, criando formas e seres aos quais deverá, por sua vez, nortear para os páramos da evolução.
Depois
Percebe-se quão grande é a capacidade criadora, o poder de transformação e a responsabilidade do Espírito que anima a forma humana a caminho da angelitude. Instado a movimentar-se na arena das experiências (objetivas e subjetivas), visando aperfeiçoar-se e ascender, obriga-se ao cumprimento das diretrizes estabelecidas pelas leis superiores e exemplificadas pelos que o precederam na escalada evolutiva. Concomitantemente, vê-se na contingência de intermediar essas luzes normativas para os que o sucedem. Nesse mister, seus potenciais desabrocham e se expandem, exercita-os nas diversas atividades a que se submete para atingir os fins que se propõe. A mente criadora, nesse mover-se ininterrupto de ascensão, plasma, no laboratório da natureza íntima e da Natureza externa, tudo o que almeja, criando formas e seres aos quais deverá, por sua vez, nortear para os píncaros imperturbáveis da evolução.
Adendo
Pagina 296:
Primeiro parágrafo
Antes
No universo do Espírito individualizado, os fluidos são, ao mesmo tempo, a matéria-prima e o instrumento de sua ação. Com eles, podemos construir as essências necessárias e o equipamento pertinente à concretização das metas.
Depois
No universo do Espírito individualizado, os fluidos são, ao mesmo tempo, a matéria-prima e o instrumento de sua ação. Com eles, podemos construir as essências e as substâncias necessárias e o equipamento pertinente à concretização das metas.
Adendo
Pagina 299:
Último parágrafo
Antes
Refletindo por este prisma, o pensamento é, simultaneamente, o potencial e a substância. Como potencial, é o agente condutor da matéria mental – os elementais que obedecem. Como substância, torna-se o agente executor da operação em pauta, finalizando ou concretizando a ação que liberta ou aprisiona a consciência condutora em expansão.
Depois
Refletindo por este prisma, o pensamento é, simultaneamente, o potencial (a essência) e a substância (a matéria-prima). Como potencial, é o agente condutor da matéria mental – os elementais que obedecem. Como substância, torna-se o agente executor da operação em pauta, finalizando ou concretizando a ação que liberta ou aprisiona a consciência condutora em expansão.
Adendo
Pagina 306:
Primeiro parágrafo
Antes
Tudo é espírito (substância) que, transmutando-se em força de trabalho, é energia. A energia coagulada é matéria. Esta, ao dissociar-se, ascende para energia psi e vai constituir o Espírito. Nada há de surpreendente nisso. Depende tão somente do grau de evolução da substância em questão. Em síntese, existe apenas um elemento original (questões de 29 a 34) e tudo (todas as espécies de energias) é resultado das uniões e modificações desse elemento primordial, sob determinadas circunstâncias.
Depois
Tudo é espírito (substância) que, transmutando-se em força de trabalho, é energia. A energia coagulada é matéria. Esta, ao dissociar-se, ascende para energia psi e vai constituir o Espírito. Nada há de surpreendente nisso. Depende tão somente do grau de evolução da substância em questão. Em síntese, existe apenas um elemento original (questões de 29 a 34, 540, 560 e 1011LE) e tudo (todas as espécies de energias) é resultado das uniões e modificações desse elemento primordial, sob determinadas circunstâncias.
Adendo
Pagina 322:
Segunda citação
Joanna de Ângelis e Alice Bailey, respectivamente, esclarecem:
Normalmente, em mecanismos de transferência ou de fuga da responsabilidade, pensam alguns indivíduos que os seus inimigos encontram-se fora, programando ataques, estabelecendo estratégia de agressão e de destruição, sem dar-se conta de que esses jamais alcançam o seu objetivo se encontram a lucidez daquele de quem não gostam e a preservação dos seus valores morais em clima de harmonia (grifo nosso).
Desse modo, os adversários de fora, muito decantados, mal algum podem fazer, quando se está consciente de si mesmo e disposto a galgar níveis mais elevados na escala da evolução que não cessa.
Adendo
Pagina 322:
Último parágrafo
Antes
Portanto, ao agirmos em dissonância com a Lei, estaremos ludibriando a nós mesmos. O uso adequado dessas energias, em qualquer nível ou estágio evolutivo, garante a saúde integral, a paz interior e a harmonia universal. A transgressão às leis constrói todos os tipos de conflitos e de enfermidades, morais e espirituais:
Depois
Portanto, ao agirmos em dissonância com a Lei, estaremos ludibriando a nós mesmos. O uso adequado dessas energias, em qualquer nível ou estágio evolutivo, garante a saúde integral, a paz interior e a harmonia universal. A transgressão às leis constrói todos os tipos de conflitos e de enfermidades fisiopsíquicas, morais e espirituais:
Adendo
Pagina 329:
Último parágrafo
Antes
Para adoecer, basta agirmos movidos pelo pensamento desvirtuado, permitindo que ele assuma, total ou parcialmente, o comando de nossas vidas. Todavia, se desejarmos, verdadeiramente, recuperar a saúde, será imprescindível o conhecimento de causa e a correspondente transformação moral.
Depois
Para adoecer, basta agirmos movidos pelo pensamento desvirtuado, permitindo que ele assuma, total ou parcialmente, o comando de nossas vidas. Todavia, se desejarmos, verdadeiramente, recuperar a saúde, será imprescindível o conhecimento de causa e a correspondente transformação mental-emotiva, físico-intelectiva, moral-espiritual.
Adendo
Pagina 333:
Último parágrafo
Antes
O menor movimento que conhecemos chama-se irritabilidade. Todavia, é tão significativo que, se tencionarmos mover o menor músculo de nosso corpo, ocorrerão bilhões de pequenas transformações no íntimo de nossa mente. Os resultados concernentes às ações mentais alimentadas, desde as mais simples às mais complexas, atingem um número incontável de outros seres da mesma frequência, organizando-os ou desorganizando-os.
Depois
O menor movimento que conhecemos chama-se irritabilidade. Todavia, é tão significativo que, se tencionarmos mover o menor músculo de nosso corpo, ocorrerão bilhões de pequenas transformações no íntimo de nossa mente e de seus veículos de expressão. Os resultados concernentes às ações mentais alimentadas, desde as mais simples às mais complexas, atingem um número incontável de outros seres da mesma frequência, organizando-os ou desorganizando-os.
Adendo
Pagina 344:
Penúltimo parágrafo
Antes
Esses potenciais compõem o mecanismo racional (razão), a serviço da memória. O raciocínio lógico é o recurso por meio do qual analisamos, comparamos, medimos e pesamos as ações e os seus resultados atuais com as experiências vivenciadas, em busca de êxito contínuo e mais abrangente, visando aperfeiçoar o desempenho futuro.
Depois
Esses potenciais compõem o mecanismo racional (razão), a serviço da mente e da consciência. O raciocínio lógico é o recurso por meio do qual analisamos, comparamos, medimos e pesamos as ações e os seus resultados atuais com as experiências vivenciadas, em busca de êxito contínuo e mais abrangente, visando aperfeiçoar o desempenho futuro.
Adendo
Pagina 346:
Penúltimo e último parágrafos
Antes
Ao iniciarmos o processo da oração ou da parceria, a vontade seleciona o pensamento e lhe dá forma, com o auxílio da mente, da inteligência e da imaginação, configurando as ideias segundo a essência dos desejos. Estas se expressarão em forma de palavras, dando origem às ações correspondentes ou sublimando-as.
Depois
Ao iniciarmos o processo da oração ou da parceria, a vontade seleciona o pensamento e lhe dá forma, com o auxílio da mente, da inteligência e da imaginação, configurando as ideias segundo a essência dos desejos, das emoções e dos sentimentos. Estas se expressarão em forma de palavras, dando origem às ações correspondentes ou sublimando-as.
Imaginar significa construir a obra no laboratório mental, de conformidade com a inteligência-consciência que temos do projeto em questão. A mente determina a ação, a inteligência a elabora e a imaginação constrói a imagem no campo mental. O perispírito a fotografa e cria as condições para que essa imagem seja telegrafada ao universo físico onde, segundo as predisposições do ser biológico, efetivar-se-ão as ações em benefício dos elementos envolvidos.
Depois
Imaginar significa construir a obra no laboratório mental, de conformidade com a inteligência-consciência que temos do projeto em questão. A vontade determina a ação, a inteligência a elabora e a imaginação constrói a imagem no campo mental. O perispírito a fotografa e cria as condições para que essa imagem seja telegrafada ao universo físico onde, segundo as predisposições do ser biológico, efetivar-se-ão as ações em benefício dos elementos envolvidos.
Adendo
Pagina 353:
Último parágrafo antes da citação
Antes
Essas fontes do oceano cósmico combinadas são inesgotáveis, imanentes na Força Suprema, e se encontram à disposição de todos. No entanto, devemos ponderar se o nosso comportamento nos leva a assimilar de forma condizente essa vida em abundância, transformando-a nas essências componentes de nossa realidade:
Depois
Essas fontes do oceano cósmico combinadas são inesgotáveis, imanentes na Força Suprema, e se encontram à disposição de todos. No entanto, devemos ponderar se o nosso comportamento nos leva a assimilar de forma condizente essa vida em abundância, transformando-a nas essências componentes de nossa realidade imperecível:
Adendo
Pagina 358:
Primeiro parágrafo
Antes
A cadeia alimentar é o mecanismo natural que mantém em harmonia o permanente ciclo da vida. Entretanto, verificamos comportamentos alimentares em evidente desacordo com a lei do equilíbrio. O consumo de vegetais, de forma indiscriminada e imprevidente, manifestado pelo desperdício – antes, durante e após a refeição –, agride os direitos evolucionais dos seres igualmente vivos do reino vegetal. A destruição é uma lei natural (questão 728LE). As leis sociais devem ser norteadas pelas leis morais. A inobservância das leis pode dar origem a desvios psicológicos (inversão de valores) que suscitam comportamentos incompatíveis com o padrão considerado normal em sociedade e em desacordo com as leis divinas. Ofertam-se tesouros de amor a animais com evidente menosprezo ao ser humano, ou mesmo aos seres vivos de outros reinos:
Depois
A cadeia alimentar é o mecanismo natural que mantém em harmonia o permanente ciclo da vida. Entretanto, verificamos comportamentos alimentares em evidente desacordo com a lei do equilíbrio. O consumo de vegetais, de forma indiscriminada e imprevidente, manifestado pelo desperdício – antes, durante e após a refeição –, agride os direitos evolucionais dos seres igualmente vivos do reino vegetal. A destruição é uma lei natural (questão 728LE). Segundo Pietro Ubaldi, a morte, isto é, “a supressão de um esforço e sua relativa conquista só são justificados pela substituição de um esforço mais elevado, dirigido a conquistas superiores.” As leis sociais devem ser norteadas pelas leis morais. A inobservância das leis pode dar origem a desvios psicológicos (inversão de valores) que suscitam comportamentos incompatíveis com o padrão considerado normal em sociedade e em desacordo com as leis divinas. Ofertam-se tesouros de amor a animais com evidente menosprezo ao ser humano, ou mesmo aos seres vivos de outros reinos:
Adendo
Pagina 362:
Penúltimo parágrafo
Antes
Ao imaginarmos que estamos nos alimentando de fato, todo esse universo se coloca em plena ação. O nosso universo interno fornece todas as substâncias essenciais à construção do projeto almejado. De forma simultânea, congregam-se à fonte externa, a matéria mental e a essência dos alimentos, na concretização da meta. Quando dizemos fonte externa, trata-se de tudo o que advém do meio externo, isto é, a força e a substância de todos os reinos somados, incluindo as dos reinos naturais.
Depois
Ao imaginarmos que estamos nos alimentando de fato, todo esse universo se coloca em plena ação. O nosso universo interno fornece todas as substâncias essenciais à construção do projeto almejado. Mediante as ilações de Joanna de Ângelis: “Desenhado um objetivo interior, e de imediato forças complexas apresentam-se para que o mesmo seja conquistado.” De forma simultânea, congregam-se à fonte externa, a matéria mental e a essência dos alimentos, na concretização da meta. Quando dizemos fonte externa, trata-se de tudo o que advém do meio externo, isto é, a força e a substância de todos os reinos somados, incluindo as dos reinos naturais.
Adendo
Pagina 364:
Últimos parágrafos
Antes
Na maioria das vezes, a fome é uma necessidade ilusória. Sabendo disso, deliberemos comer apenas o que realmente necessitamos. O ato de alimentar-se deve revelar uma postura responsável porque estamos assumindo um sério compromisso com todos os seres que se deixaram perecer para que tenhamos vida.
Aprendemos com três mestres, respectivamente, que a soberania da alma está vinculada ao aprimoramento das emoções (Emmanuel), que a sublimação das emoções se alia à disciplina da respiração (Yogananda) e, por fim, que o ar é um medianeiro de qualidades indescritíveis, carreando as forças cósmicas para essa realização (Miramez).
Na maioria das vezes, a fome é uma necessidade ilusória. Posto que, via de regra, comemos por hábito, por prazer ou por desejo. Sabendo disso, deliberemos comer apenas o que realmente necessitamos. O ato de alimentar-se deve revelar uma postura responsável porque estamos assumindo um sério compromisso com todos os seres que se deixaram perecer para que tenhamos vida.
Aprendemos com três mestres, respectivamente, que a soberania da alma está vinculada ao aprimoramento das emoções (Emmanuel), que a sublimação das emoções se alia à disciplina da respiração (Yogananda) e, por fim, que o ar é um medianeiro de qualidades indescritíveis, carreando as forças cósmicas do Evangelho para essa realização (Miramez).
Adendo
Pagina 381:
quinto parágrafo
Antes
Compreendemos a origem (o que é) e a natureza (para que serve) do Espírito. Entretanto, mister se faz proceder, com celeridade e segurança, ao processo de autoiluminação, por ser essa a nossa meta existencial. Algumas atitudes podem ser bastante oportunas para darmos início à desejada transformação moral.
Depois
Compreendemos a origem e a natureza do Espírito, isto é, a finalidade do existir e de vivermos em Deus. Entretanto, mister se faz proceder, com celeridade e segurança, ao processo de autoiluminação (mover-se em Deus), por ser essa a nossa meta existencial. Algumas atitudes podem ser bastante oportunas para darmos início à desejada transformação moral.
Adendo
Pagina 383:
Terceiro parágrafo
Antes
A principal característica da autoiluminação é compreender que não existe ninguém maior ou menor, exceção feita à capacidade de amar da unidade. Todos os seres merecem igual tratamento conforme nos recomenda a lei de solidariedade.
Depois
A principal característica da autoiluminação é compreender que não existe ninguém maior ou menor, exceção feita à capacidade de amar da unidade. Todos os seres merecem igual tratamento conforme nos recomenda as leis de justiça e de solidariedade. (vide as questões 614, 621, 632 e 876LE)
Adendo
Pagina 386:
Segundo parágrafo
Antes
A isso chamamos o despertar da consciência. Consciência que despertou por meio do autoconhecimento, do autodescobrimento, do autoamor e da autorrealização, chegando ao estágio que chamamos de autoiluminação.
Depois
O despertar da consciência é, por si mesmo, um longuíssimo e grandioso périplo no qual a consciência atenta e empenhada nesse intento assimilará, em cada etapa nobremente vivenciada, o essencial à sua individualização e, consequentemente, o imprescindível à sua individuação e iluminação. Consciência que despertou por meio do autoconhecimento (compreendendo do que é constituída, isto é, a sua anatomia), do autodescobrimento (a sua fisiologia, o seu perfectível funcionamento), do autoamor (o processo de autocura ou de autotransformação) e da autorrealização (indissociável da perene solidariedade e do amor incondicional ao semelhante), chegando ao estágio que chamamos de autoiluminação, quando nos sentiremos o próprio Senhor Supremo (Eu e o Pai somos um, ou seja, a partir deste instante não haverá ninguém melhor ou pior, posto que todos somos partes integrantes da Sempiterna Unidade). Em síntese, segundo Joanna de Ângelis: “O Self, dessa maneira, desenvolve-se mediante as experiências que o acercam do Arquétipo Prima¬cial, no qual haure vitalidade e força, transferindo todas as aquisições nobres ou infelizes para futuros cometimentos, assim ampliando os primeiros e re¬cuperando-se dos segundos, armazenando todas as experiências que o conduzirão à individuação plena, ao numinoso ou sintonia com Deus.’
Adendo
Pagina 388:
Primeira citação
Livre e responsável, a alma traz em si a lei dos seus destinos; prepara, no presente, as alegrias ou as dores do futuro.


Errata 6° Edição


            Páginas sem numeração: 20, 44, 244, 396

 

Pagina 41:

Primeira citação

Adendo

Antes

 

[...] mesma substância que, embora mudando de forma, nada aumenta e nada destrói de si mesma, mas se refina seu modo de ser com qualidades cada vez mais sutis, complexas e perfeitas.40

 

Depois

[...] em cada uma dessas transformações podeis descobrir sempre a mesma substância que, embora mudando de forma, nada aumenta e nada destrói de si mesma, mas se refina seu modo de ser com qualidades cada vez mais sutis, complexas e perfeitas.

 

Pagina 97:

Segundo parágrafo

Unifiquei o número das citações

Antes

Ainda segundo Hernani G. Andrade, o terceiro núcleo do psiátomo é o que denominamos de corpo causal: a parte de que se constitui a consciência (o ser moral e o espiritual), o Intelecton. Sintetiza a função de “Inteligência-consciência – como faculdade de responder adequadamente às informações captadas pela percepção-memória”.

 

Depois

Ainda segundo Hernani G. Andrade (da mesma obra, capítulo e item citados), o terceiro núcleo do psiátomo é o que denominamos de corpo causal: a parte de que se constitui a consciência (o ser moral e o espiritual), o Intelecton. Sintetiza a função de “Inteligência-consciência – como faculdade de responder adequadamente às informações captadas pela percepção-memória”.

 

Pagina 106:

Unifiquei o número das citações

Antes

Analisemos o caminho percorrido por esse elemento vivo e atuante, quando canalizado pelas portas dimensionais que chamamos de centros de força, a serviço da entidade mental, na construção e na reconstrução de nosso universo:

 

Depois

Analisemos o caminho percorrido por esse elemento vivo e atuante, quando canalizado pelas portas dimensionais que chamamos de centros de força, a serviço da entidade mental, na construção e na reconstrução de nosso universo (idem, da última obra citada):

 

Pagina 164:

Adendo à citação

Antes

Para o trabalho saudável de integração dessas vertentes do Eu são necessários o trânsito por alguns estágios terapêuticos, quais o conhecimento de si mesmo, da própria personalidade; administração dos vários elementos que constituem essa personalidade; a busca de um centro unificador, para que se dê a realização do verdadeiro Eu mediante a reconstrução da personalidade em volta do recém-formado fulcro psicológico.

Editora O Despertar da Consciência

Aproveite Também